09/09/2021 às 23:01 Arte, cultura e sociedade

A perfeição é um sintoma de uma sociedade doente.

15
1min de leitura

Em uma sociedade com um sistema de valores fundamentado em padrões de beleza inalcançáveis, o que significa ter orgulho das próprias imperfeições?

O que significa não se preocupar em esconder as rugas, as manchas ou as cicatrizes? Bem, se preocupar significa ter que ter dinheiro, tempo, disciplina, determinação e genética à disposição. Mas será que a gente realmente precisa se preocupar?

A filósofa Susan Sontag, que também escreve sobre fotografia, escreveu, em 1979, um ensaio entitulado The Double Standard of Aging, em que descreve o processo do envelhecimento feminino como uma "humilhação atrelada à gradual desqualificação da mulher como objeto sexual". Enquanto as mulheres são mais - muito mais - julgadas pela aparência que os homens, nós perdemos muito mais ao envelhecer. Conforme aquilo que se considera um indicador de juventude se perde, a sociedade apaga também a mulher enquanto sujeito, já que seu valor está associado ao conceito de beleza.

A busca pela perfeição se mostra um sintoma de uma sociedade severamente doente. A pressão para que tenhamos um determinado padrão, que na maioria das vezes não é nosso, leva cada vez mais mulheres ao não reconhecimento de si mesma, uma vez que a busca é para que atendamos às expectativas do outro, não às nossas.

Nós não precisamos disso.

09 Set 2021

A perfeição é um sintoma de uma sociedade doente.

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Quem viu também curtiu

01 de Ago de 2020

Quando falta consciência, a humanidade padece.

11 de Ago de 2020

Brasil e a cruzada pelo empobrecimento da cultura nacional.

01 de Ago de 2020

Sua marca votou em quem?

Oii! Como posso te ajudar?
Logo do Whatsapp